O que comemos

Desde outubro de 2011 iniciamos uma dieta vegetariana estrita, ou seja, nada de carnes, lácteos, ovos e derivados. Em 2012 aprofundamos nossas leituras sobre alimentação e fizemos algumas experiências crudívoras e frugívoras também. Em junho de 2012 partimos em uma viagem de bicicleta percorrendo 5 países da América do Sul até esta data.Conforme percorremos cada região, aprendemos a utilizar os ingredientes disponíveis e descobrimos receitas vegetarianas e veganas deliciosas.

Abaixo está uma listagem dos alimentos que costumamos comer durante cicloviagens para aquela galerinha que sempre pergunta “Mas se vocês não comem carne, vocês comem o quê, peixe?”. Peixe não meus amigos, peixe não! hehehe Claro, tem muito mais coisa do que isso, mas no momento foi o que conseguimos lembrar:

  • Abacate
  • Abacaxi
  • Abóboras
  • Abobrinhas
  • Alface
  • Algas
  • Amaranto
  • Ameixas
  • Amêndoas
  • Amendoim
  • Amora
  • Arroz integral
  • Aveia
  • Avelã
  • Azeite de Oliva
  • Banana
  • Banana Passa
  • Batatas (Ah, as batatas peruanas!)
  • Batata Yacon
  • Bergamota, mixirica, mimosa…
  • Brócolis
  • Cacau
  • Caldo de cana (melado, rapadura…)
  • Caqui
  • Cenoura
  • Chia
  • Chocolate (sem leite)
  • Cogumelos
  • Couve
  • Damasco
  • Fruta do Conde
  • Gergelim
  • Granola
  • Grão de Bico
  • Inhame (cará, inhame São Tomé, etc)
  • Jabuticaba
  • Jaca
  • Laranja
  • Lentilhas
  • Limão
  • Linhaça
  • Macarrão
  • Maçã
  • Mamão
  • Mandioca (Ah, as tapiocas do Norte e Nordeste)
  • Mandiokejo®
  • Manga
  • Mangabas (Ah, nordeste e seus sucos de mangabas!)
  • Manjericão
  • Mariola
  • Melancia
  • Melão
  • Milho verde
  • Milho (derivados: polenta, cuscus, flocos de milho, etc)
  • Melado
  • Morango
  • Mostarda
  • Nona
  • Nozes
  • Orégano
  • Pães
  • Pepino
  • Pêra
  • Pitanga
  • Pitaia
  • Polenta
  • Polkan
  • Quiabo
  • Quinoa
  • Quiwi
  • Repolho
  • Rúcula
  • Salcinha
  • Tâmaras secas
  • Tamarindo
  • Tapioca
  • Tomates
  • Tomilho
  • Tremoço
  • Trigo
  • Uva passa
  • Xuxu
  • Enfim… a lista ainda vai longe.

O que experimentamos nos países que passamos:

  • Palta – abacate chileno
  • Pan de Indio – Cogumelo comestível que nasce no sul do Chile (não era época quando passamos)
  • Nalca – Caule de uma folha espinhosa que nasce na região sul do Chile, muito parecida com ruibarbo. Tem por toda a beira da estrada na região da Carreteira Austral, sul do Chile. Fica deliciosa em refogados junto com outros legumes ou cozido com arroz.
  • Tuna: fruto de um cactus muito comum no Peru e Bolívia.
  • Cochaiuio: Alga do Mar muito popular no sul do Chile, precisa ser fervida em água, e pode ser usada em refogados de legumes, junto com arroz, etc.
  • Luche: Alga do mar comum no sul do Chile, vendida seca, em blocos como tijolos. Tem sabor que lembra alga Nori usada em sushi.
  • Acelga: Na Argentina e Chile encontramos uma acelga que é diferente da acelga que conhecemos aqui, é mais escura, de caule mais longo e mais fibroso, fica muito bem em refogados ou crua em saladas.
  • Cacau fruta no Pará
  • Cupuaçú desde o Acre
  • Açaí puro batido na hora (Ah, o Pará!)

Alimentos que voltamos a incluir na dieta:

  • Alho: muito nos ajudou a lidar melhor com os efeitos da altitude no altiplano.
  • Vinicius

    Palta é mttto bom, comi horrores no Chile, aqui volta e meia tem no angeloni mas é meio caro =T

  • Caio

    O que é que vcs levam para comer e de o nome de um prato que fazem? Eu sou vegetariano e sei o quanto é difícil ser um, por exemplo, na Bolívia. Eu fui pro Atacama e vivia a base de lentilha, feijão, palta, arroz, frutas, ervas e pães. Para manter o esse vigor como vegan no meio do salar de Uyuni o que levaram de comer? Abs

    • Olá Caio.
      No Salar de Uyuni especificamente só ficamos duas noites, sendo que tivemos como base anterior o pequeno povoado de San Juan de Rosário, onde encontramos batatas andinas e uns poucos vegetais para comprar nesta época. Depois do salar há o pequeno povoado de Tahua onde encontramos pequenos mercadinhos também. Não foi preciso levar muita comida porque a travessia não era muito grande. No sul do Chile por exemplo, fizemos uma travessia de 20 dias sem ter nenhuma cidade pra comprar comida, foi bem mais difícil considerando que lá frutas e verduras é dificílimo. Já para o Salar algo como para dois dias e um de emergência é suficiente para o trajeto que fizemos (sul para norte). Sempre é possível encontrar talharim e molho de tomate, o que salva nossa janta, além de batatas que compramos de pessoas que produzem no local, habas também é fácil achar de todo o tipo (crua, tostada, frita…), também os pacotes de purê de batatas industrial é comum de encontrar. Levamos para café da manhã maisena e chuño, achocolatado e açúcar para fazer mingau. Enfim, não tem sido muito difícil no nosso ponto de vista, porque cozinhamos sempre. Agora, se dependesse de comer em restaurante passaríamos a arroz puro com batata frita, aí não dá né… Abração e obrigado pelo comentário.

  • Caio

    Ah! Já vi que tem um lugar, no site, das “Receitas”. ;D

  • Annabela

    Vocês vivem de quê (financeiramente)?

    • Oi Annabela.

      de nosso trabalho em nossa loja virtual e outros sites e também plantando nossa própria comida.

      Abraço