O que evitamos comer

Abaixo listagem dos alimentos que já eliminamos de nossa dieta cotidiana, e que pretendemos permanecer sem precisar comer-los:

  • Carnes:
    • Gado
    • Peixes
    • Porcos
    • Aves
    • Frutos do Mar
    • Ovelhas
    • Coelhos
    • Gatos
    • Cães
    • Insetos
    • enfim, qualquer animal
  • Leites de vaca e derivados
  • Leite de cabra e derivados
  • Leite de outros animais e derivados
    • Queijos
    • Requeijão
    • Manteiga
    • Margarina que contenha leite
    • Produtos processados que contenham leite, ex: chocolates, bolachas, macarrão, pães, etc.
  • Gelatina
  • Chicletes
  • Produtos que contém glúten (aveia, cevada, centeio, mas principalmente o trigo)
Produtos que evitamos comprar:
  • Produtos que contenham Glutamato monossódico
  • Produtos que contenham aspartame
  • Produtos que contenham açúcar refinado
  • Produtos que contenham gordura trans
  • Chás que contenham  aromatizantes
  • Produtos transgênicos
  • Óleo de soja
  • Cebola
  • PTS (proteína texturizada de soja)
  • Luã O.

    por curiosidade, qual o motivo da exclusão do café? bela viagem, abs.

    • Olá Luã, na verdade estamos consumindo café novamente, mas um dia sim, outro não e só pela manhã. O motivo de cortar o café do dia-a-dia é que se não tomávamos uma das três xícaras diárias no horário usual, terríveis dores de cabeça vinham em seguida. Então o motivo foi a dependência que causa. Abraçss

      • Está me parecendo que vocês têm enxaqueca causada por alimentos que são vaso-dilatadores (exatamente como a minha). Eu não posso consumir alho, vinho tinto, chocolate, café, nenhum pré-treino vaso-dilatador (claro), etc. Ao consumir esses produtos, depois de algumas horas eu perco a visão periférica e manjas coloridas surgem piscando em um dos olhos. Depois de 15 minutos uma dor cavalar chega e me derruba pelas próximas seis horas. Se eu não me medicar, a vontade é de se suicidar tamanha a dor (que sem remédio causa vômitos, tremedeira e intolerância a luz, odores e ao som).

        • Olá Aldo,
          Não é nosso caso de enxaqueca não. Nós dois raramente temos dores de cabeça, a não ser quando nos abstemos de café pela manhã, e mesmo assim é branda. Normalmente quando sentimos alguma dor de cabeça, são em dias que são muito quentes quando ingerimos quantidade insuficiente de líquidos. Como já sabemos disso, procuramos tomar sempre bastante água prevenindo, e se a dor surge, aumentamos ainda mais a ingestão ao final do dia, sempre junto com sumo de limão, açúcar/rapadura, pitada de sal. A opção por deixar de comer cebola é puramente ligada à (perdão pelo termo) flatulência generalizada, hehehe. Já o alho foi um teste que fizemos para ver se estava associado a algum tipo de nervosismo ou irritabilidade, e até mesmo algumas dores abdominais que a Ana tinha de vez em quando e suspeitávamos de algum tipo de gastrite, tudo isso se provou pouco conclusivo no nosso teste, então no altiplano voltamos a consumir alho em doses diárias grandes junto com a comida (por conta da altitude mesmo) e seguimos consumindo até agora sem nenhum problema. Sobre as dores abdominais que a Ana tinha, vinham sempre depois de períodos longos sem comer (mais que 3h de intervalo), as tais dores misteriosamente desapareceram depois que deixamos de consumir glúten, não sabemos se estava associada ou não ao glúten, mas ela não tem estas dores há muitos meses já.
          Bom, estes foram alguns testes que fizemos no sentido de observar como nosso corpo reage à diferentes alimentos. Mais adiante, ao final da viagem queremos elaborar um artigo contando mais detalhadamente estas experiências alimentares que tivemos ao longo desta viagem.
          Abraços e boas pedaladas, Aldo!

          Ana e André

  • Olavo Ludwig

    E o Alho e cebola?

    • Lenise

      sim por que vocês evitam comer alho e cebola? fiquei intrigada com isso …seria o acumulo de sódio???

      • Provavelmente porque tb causam dores de cabeça? Pois são, como eu disse no meu outro comentário, vaso-dilatadores – o que é o gatilho de fortíssimas dores de cabeças em algumas pessoas (como eu que tenho a enxaqueca oftálmica).

        • Sobre as dores de cabeça não é pelo fato de consumirmos café, e sim quando não consumimos (abstinência) é que as dores surgem. Respondi no seu comentário anterior, dá uma olhadinha por lá. Fiquei curiosa em saber sobre enxaqueca, minha mãe de vez em quando tem umas fortíssimas. Nós temos a sorte de não saber o que é isso de fato. Grande abraço!

  • Felipe “Ruivo”

    Ana e André, fico muito feliz em saber que vocês têm uma alimentação vegan. Eu sou vegan há muitos anos e agora estou encarando a idéia de fazer uma cicloviagem grande nos próximos anos, um roteiro próximo ao de vocês, ainda meio indefinido. Estava bastante intrigado quanto à possibilidade de ser vegan rumo ao sul do continente, vejo que vocês se viram muito bem. Vou acompanhar o blog com mais frequência e aguardo mais postagens nesse sentido: dificuldades e facilidades da alimentação vegan na estrada. Um abraço e boas viagens!

    • Olá Felipe, ficamos felizes com seu comentário. Pode deixar que essa ideia de post sobre dificuldades e facilidades de permanecer na alimentação vegana durante a viagem nós faremos, agradecemos sua dica! Por enquanto tem sido tranquilo permanecer nesta alimentação, só exige um pouco de planejamento e comprar sempre comida a mais do que a maioria compra para os mesmos trechos, porque não contamos com a facilidade de comer em restaurantes ou de aceitar refeições na casa das pessoas (porque normalmente servem carne, etc…principalmente mais ao sul/patagonia). Tivemos de abrir apenas uma exceção em relação à alimentação vegana, o Mel, assim que entramos na Argentina, pela dificuldade em encontrar açúcar integral ou melado de cana. Se o post não chegar a tempo de esclarecer suas dúvidas antes da viagem, e quiser nos perguntar algo, é só nos escrever! Um grande abraço e boas pedaladas!

  • Leonardo Reiter

    Bom dia amigos,

    Parabéns pelo blog e pela fantástica viagem !!
    Uma dúvida: porque estão evitando comer alho e cebola e, principalmente, o mel, já que é uma ótima fonte de carboidratos de fácil digestõ? É por causa de falsificações, misturas, etc? Ou por contaminação de agrotóxicos nas flores?
    Abração !!

    • Olá Leonardo. Na Argentina fomos obrigados a voltar a consumir mel, até então vínhamos consumindo melado de cana artesanal, muito comum no sul do Brasil, ou açúcar mascavo artesanal que comprávamos dos próprios produtores. Na Argentina era escolher pelo mel ou comer açúcar puro, o que é muito pior pra saúde. Então na Argentina e Chile estava fácil encontrar mel de boa qualidade. Mas conforme subimos ao norte acabamos comprando mel que depois descobrimos ser falso. Isso é muito frustrante, mas qualquer caloria é bem vinda, então mel ou caramelo de açúcar, acabamos consumindo de vez em quando. Faz muita diferença nas subidas! hehehe. Alho e cebola voltamos a comer na Bolívia e Peru, mas usamos mais por medicamento do que tempero. Isso porque o alho ajuda a “atacar coisa ruim” que fica no nosso organismo, devido a água de má qualidade que consumimos sem saber e outros vírus. Não sabemos até que ponto isso é mito ou verdade, mas que ajudou a melhorar dor de garganta e pança, ah ajudou. Mas procuramos consumir o alho e a cebola como medicamento, e não como tempero, usamos com cuidado e não cotidianamente.

  • Luiz Wagner

    Parabéns pela viagem! Acho muito legal alimentação vegana e vejo que vocês estão muito bem, fico feliz em saber que continuam firmes, especialmente numa viagem onde devem ter dificuldades de manter esta alimentação na estrada. Gostaria de saber como fazem para não ter deficiência de B12. Um abraço e continuem assim!

    • Olá Luiz, obrigado pelo comentário. Sobre a B12, antes de sair de viagem fizemos exames sanguíneos e estava tudo bem com nossa B12, até porque faziam poucos meses que havíamos adquirido a dieta vegana. Por precaução, tomamos B12 líquido no início da viagem (manipulado). Por um bom tempo não tomamos nada. Na Bolívia voltamos a tomar B12, encontramos uns comprimidos em bom preço nas farmácias, mas não podemos ter certeza se a procedência da B12 é de origem animal ou vegetal. Neste estágio da viagem não temos a possibilidade de investigar cada marca de comprimidos de B12 vendidos aqui…infelizmente, não sabemos nem se são comprimidos de farinha ou originais. No entanto nos sentimos bem, fortes e saudáveis, mesmo sem ter feito exames sanguíneos recentemente. Esperamos fazer outro exame assim que estivermos de volta ao Brasil…De qualquer maneira, muitos dos produtos industrializados que consumimos é fortificado com B12, cacau em pó vendido no Perú é fortificado, assim como leite de soja, alguns outros cereais, etc. Mesmo assim creio que esta quantidade que vem nos alimentos fortificados não seja suficiente para suprir nossa necessidade. Abraços e valeu pela força!!!

  • Pedro Edison

    Mais não esqueçan de vez enquando de proverse com um complexo de Vitaminas B 🙂

    • Opa, mas antes de entrarmos na selva tomamos um montão destas para ajudar a amenizar a picada dos mosquitos e também para aproveitar os exelentes preços da farmácia peruana. 1 cartela com 12 comprimidos do complexo B cerca de R$0,80

      Abraçosss

  • Aida Maria Muniz Ferreira Chagas

    Ana e André, que alegria estar falando com vocês, lembra que nos encontramos na praia do Gunga em Maceió, pois é foi maravilhoso ter conhecido vocês ali naquele lugar, com certeza que não voltaremos lá pois tivemos uma grande decepção na saída da praia, mais isso conversaremos pessoalmente. O Grupo que estava comigo, o meu marido, o meu irmão minha cunhada e o irmão dela que dividiu as experiências com vocês. Engraçado é que ficamos tão preocupados que queríamos dar tudo a vocês, comida, refrigerantes, chicletes lembra, e por grande gentileza vocês aceitaram alguma coisa. Vocês são um doce de pessoas, pedimos a Deus que ele continue tomando conta de vocês, abençoando e unindo vocês a esse amor tão grande que vocês tem.
    Assim que vocês chegarem aqui em Salvador eu quero ser a primeira pessoa a abraçar vocês, não sei o que vou levar para vocês mais com certeza muita alegria.
    Venham em Paz, juntinhos e felizes, não esqueça de mim. A turma está mandando muitos beijos e abraços. O sorriso de vocês nos dar coragem.
    Que esse versículo bíblico lhes acompanhe sempre:”Posso todas as coisas naquele que me fortalece”(Filipenses).
    Beijos e mil beijos, depois envio as fotos.
    Venhas na Paz. nós gostamos muito de vocês.

    • Olá Aida, que alegria receber uma mensagem de vocês! Olha, já estamos em Salvador, vamos ficar por aqui uns dias na casa de um amigo. Se vierem algum dia destes nas proximidades do pelourinho nos avisem que combinamos de nos encontrar! Que chato essa decepção que tiveram no Gunga, espero que não tenha sido coisa grave! Dormimos por lá naquela noite, e tudo correu bem. Agora vamos esperar o carnaval passar para poder pedalar pelas ruas novamente. Nesse meio tempo queremos conhecer a cidade a pé e ver como é a manifestação cultural do carnaval nesta grande festa! Grande abraço pra ti e toda essa família linda!

  • André Rios

    Parabens. Sinto falta de pessoas com essa mentalidade no meu cotidiano. Por enquanto sou mais um ilhado na selva de pedras. Forte Abraço