Chile

Ao cruzarmos o passo mais baixo da Cordilheira dos Andes, da Argentina para o Chile, entramos na Carretera Austral, lugar onde variedade de vegetais se resumia basicamente por alface, tomate e palta. Dissemos adeus às “Pepas”, umas bolachinhas argentinas que ficamos viciados. Começamos a vasculhar os mercadinhos e o quintal dos outros à procura de algo mais vitaminado, uma busca insana a cada dia. Por insistência sempre encontrávamos algo que valesse a pena, alguém sempre indicava o nome de alguma senhorinha ou senhorzinho que tinha estufa no quintal, então conseguíamos comprar acelga, alface, cenoura e cebola, e quanto estávamos com muita sorte, cenouras, rabanetes, abobrinhas e até tomatinhos cereja vinham parar no nosso prato.

Bem ao sul do Chile, conhecemos um ingrediente que gostamos muito, o Cochayuyo. Trata-se de uma alga marinha comestível que tem aparência a couro de porco, textura de couro de porco, mas zero sabor. Ótimo para refogar junto com outros legumes ou com um denso molho de tomates bem em frente à outros colegas de camping/hostel vegetarianos, que vão achar que você está ficando louco, pois eles não vão acreditar que aquilo não é couro de porco! Ao menos ninguém vai roubar suas sobras de almoço na geladeira comunitária… Apesar da aparência um pouco asquerosa, a textura é muito interessante.

Já que estamos falando de algas, outra que gostamos bastante é o Luche, também conhecido como alface do mar, no Chile é encontrado em blocos compactados já desidratada e prensada. Tem cor escura quando seca, mas fica verde clara quando cozida. Tem cheiro que lembra alga Nori, aquela usada em sushis, e por nos lembrar sushis, gostamos bastante de usar o luche com arroz.

Um ingrediente que levávamos sempre um pouquinho na bagagem pedalando pelo Chile era o Chuño industrializado. Trata-se de um amido feito a partir de batatas, um processo de liofilização. O chuño é encontrado no Chile em formato em pó, no Peru encontramos ainda em formato de batata. Sua utilização é uma alternativa amido de milho. Usávamos para encorpar sopas, caldos, e fazer render mais nosso purê de batatas instantâneo. Aliás, purê de batatas era bastante acessível no Chile, Bolívia e Peru.

Assim como na Argentina, lentilhas e grão de bico tinham preços convidativos. Outro produto de preço bom e largamente encontrado era a palta, um abacate de pequeno porte e casca escura muito saboroso.

Abaixo algumas receitas com ingredientes que encontramos no Chile:

Refogado de Cochayuyo