6 Dicas para pedalar melhor no calor

Desde as áreas desérticas e secas na Argentina, passando pelas baixas altitudes no Peru, entramos no calor úmido da Selva Amazônica, chegamos debaixo do sol forte no nordeste brasileiro e enfrentamos infindáveis subidas no calor das terras mineiras e paulistas. Com tanto tempo pedalando com o sol fervendo os miolos, tiramos 6 dicas para pedalar melhor no calor direto do bolso ensopado em suór.

1. Tomar água antes de sentir sede

Próximo de Maravilha, SC.

Pausa para descanso num dia muito quente ainda no comecinho da viagem

Procure fazer pausas regulares durante o pedal para tomar água, relaxar alguns minutos, descansar a bunda do selim e apreciar a paisagem.  Caso não sinta sede, coloque seu celular despertar para cada meia hora, por exemplo, até formar o hábito e vá aumentando a quantidade de água que consiga ingerir gradualmente, mas também não exagere. Este intervalo de tempo e a quantidade de água ingerida vai depender da intensidade de sua pedalada, da temperatura e umidade do ar. Há vários artigos na internet explicando o motivo pelo qual se recomenda tomar água antes de sentir sede, até mesmo em um cotidiano sem exercício físico.

Se a água estiver duvidosa na região em que você está pedalando, substitua com frutas ricas em líquidos, é a água filtrada, energizada e saborizada pela natureza. Assim dá até pra fugir dos isotônicos industrializados sem medo da desidratação!

2. Alimentar-se antes de sentir fome

Pausa pro açaí!

Açaí congelado para viagem, pausa para almoço no Pará.

Além de afetar o humor e causar “climão”, caso você esteja pedalando acompanhado, deixar para se alimentar só quando sentir fome pode trazer consequências para seu corpo, uma delas é a diminuição da sua energia para pedalar. As vezes não notamos que estamos nos sentindo cansados, ou as pernas pesadas demais, por conta da falta de uma pausa rápida para um lanchinho. No calor, optamos por fazer pausas prolongadas ao meio-dia, quando o sol está mais quente, e nestas pausas aproveitamos para fazer um lanche mais prolongado, como devorar uma melancia inteira. Nos demais intervalos, procuramos parar por 10 a 15 minutos ingerindo alimentos como rapaduras, frutas, chocolate, castanhas, ou seja, bocadinhos rápidos e cheios de energia.

3. Escolha alimentos ricos em nutrientes e água.

Jaca para aliviar a fome e a sede

Jaca para aliviar a fome e a sede

Se consumir alimentos muito secos, como frutas desidratadas, castanhas, barrinhas de cereais, pão, etc, aumente sua ingestão de líquidos para compensar. Desidratação é algo muito desagradável para se enfrentar durante uma viagem de bicicleta, ela acontece mesmo quando você toma cuidado de tomar água com frequência, e ela pode atrapalhar bastante seus planos, pesquise sobre o tema e se previna desta encrenca! Procure ter um envelope de soro em pó no seu kit primeiros socorros.

Gosta do nosso conteúdo? Receba as novidades em primeira mão!

4. Preste atenção à sua respiração, inspirar pelo nariz e expirar pela boca ajudam a refrigerar o ar entrando pelo pulmão.

Principalmente em uma longa subida debaixo de pleno sol escaldante, esta técnica de respiração nos ajudou muito e faz uma incrível diferença. Inspirando pelo nariz e expirando pela boca, o pulmão terá um ar refrigerado a cada inspiração, e o ar quente que o corpo expele não reaquece o caminho que o novo ar irá percorrer pelas fossas nasais. Sentimos em nossa experiência, que esta técnica respiratória ameniza o aquecimento corporal, nos dando mais resistência em dias de calor extremo e ajudando imensamente a pedalar subida acima.

5. Utilizar roupas longas com fator de proteção solar.

Ciclovia da Via Chico Mendes, , em Rio Branco, Acre

Aba grande adaptada no capacete para proteger o rosto do sol completamente.

Maquiagem natural da estrada, pó nos tons marrom misturado com suór...

Aba avantajada dos nossos capacetes. Não repara a sujeira, é o protetor solar feito com poeira da Transamazônica

Assim você não precisa se lembrar de reaplicar loção solar a cada duas horas, e ainda não vai sentir ardência do sol escaldante direto na pele. Em uma viagem de bicicleta, é comum passar horas e horas pedalando sem encontrar uma sombra amiga, as vezes nem para descansar, e é bastante incômodo reaplicar loção solar a cada duas horas ou menos. Nós preferimos a barreira física, adaptamos uma aba mais alongada no capacete, que protege o rosto inteiro, e usamos roupas longas e de cor clara e luvas, desta maneira nunca nos queimamos do sol.

No começo da viagem, nos foi oferecido um apoio da marca de vestuário Hard Adventure, e testamos camiseta e calça cujo tecido recebe tratamento para proporcionar maior proteção dos raios ultra-violetas (bloqueando entre 95% e 97% dos raios UV). Veja o nosso artigo de review sobre essa camiseta: {Review} Vestuário Hard Adventure para o pedal. Ou conheça esse produto em nossa loja virtual http://www.pedarilhos.com.br/loja/vestuario/camisas-e-camisetas-com-protecao-solar.html

6. Vestir as garrafas de água com meias molhadas

Meia molhada na caramanhola ajuda a manter a água sempre fresca durante o pedal em dias quentes.

Meia molhada na caramanhola ajuda a manter a água sempre fresca durante o pedal em dias quentes.

Seguindo o mesmo princípio do suór, cuja função é regular a temperatura corporal, sempre teremos água fresca para tomar, pois com a evaporação da água contida na meia molhada que reveste externamente a caramanhola (garrafa de água), seu conteúdo nunca esquenta! Quando o calor é extremo e a umidade do ar é baixa demais, também molhamos uma bandana ou camiseta para cobrir o nariz e a boca, e muitas vezes molhamos parte da roupa onde o sol não incide diretamente, como braços, parte da frente do tronco e pernas das calças. Com o vento gerado pelo deslocamento da bicicleta, a umidade evapora e refrigera nosso corpo ainda mais que o suor, causando um efeito que nós apelidamos de “ar condicionado de ciclista”.

Protegidos até os dentes contra o sol e a baixa umidade do ar.

Protegidos até os dentes contra o sol e a baixa umidade do ar.

Agora que o verão vem chegando, esperamos que estas dicas te ajudem a pedalar aproveitando mais a paisagem e os bons momentos. Se achou este artigo útil, compartilhe com seus amigos de pedal e deixe seu recado, opinião, sugestão ou o que queira nos comentários!

 

Quer mais dicas de cicloturismo? Acesse nossa aba de Dicas!
Gostou? Comente, Compartilhe!

 

Gostou deste conteúdo? Se inscreva e receba conteúdo exclusivo!

Camisetas Algodão Orgânico Pedrilhos - Conheça. Conheça também as Camisetas de Algodão Orgânico Lisas em nosso site Parceiro.
  • Bruno

    Dicas muito úteis! O site de vocês é o melhor site de cicloturismo que eu já vi! Inspirador!!

  • heltonbiker

    Excelentes dicas! A da meia molhada eu não conhecia!
    Uma coisa que NUNCA perco oportunidade de fazer, no calor, é ME MOLHAR sempre que encontro uma fonte de água (torneiras, geralmente). Molhar cabeça, nuca, orelhas, barba, braços, pernas, e dependendo até ombros e peito, ajuda a economizar suor e principalmente sal. Além do mais, à medida que o suor vai evaporando, a pele vai ficando salgada, o que DIMINUI a eficiência do próprio suor (pois diminui a velocidade de evaporação). Assim, “se lavar” nas bicas tem triplo efeito: higiene e conforto, economia de suor, e aumento da eficiência da termo-regulação.
    Lindas fotos! Abraços!

    • Fala Helton!!!

      Valeu o comentário!!
      Tem razão, também fazemos isso…. Triplo efeito, exato!

      Abraços!

  • Sucesso total

  • almir

    Parabéns pelo blog muito legal ! gostaria de fazer uma pequena observação quando ao método da respiração, é de se puxar o ar em dois pequenos intervalos, tenho usado essa técnica a algum tempo, e sinto que ocorre uma espécie de” hiper-ventilação” dando um gás a mais nas ladeiras. fica a dica boa sorte na aventura !!!

  • Liz

    Olá. adorei as dicas. Gostaria de saber onde posso comprar o capacete com abas de para proteção ao sol.

    Muito obrigada!

    • Olá Liz,
      Nós mesmos fizemos as abas para os capacetes. Fizemos assim a primeira: compramos viseiras de praia daquelas de abas bem grandes, removemos o tecido, furamos a viseira em pontos onde seria possível fixar uma embraçadeira plástica ao capacete, e pronto. A do capacete do André fizemos com um paralama de caminhão que encontramos jogado na estrada, recortamos com o mesmo formato da aba da viseira da Ana, e fixamos ao capacete. Acredito que daria certo com espuma EVA também, é mais fácil de recortar e mais leve, mas em ventos muito fortes pode ser que fique muito maleável e dobre.
      Abraço e valeu pelo comentário!

  • Wagner

    Parabéns pela aventura André e Ana !!! Suas dicas são de ouro, muito obrigado.

    Estou acompanhando vocês desde o início de sua viagem, estou muito agradecido por tamanho conhecimento que vocês massas !!!

    Grande abraço à vocês !

    Até breve !!!!!

  • Wagner

    Opa desculpem o erro de digitação no post anterior…, eu quis dizer “conhecimento que vocês passam”!

    Abs

  • António

    Cara que loco meu sonho fazer uma viagem assim se Deus quiser ainda farei !! Me ajudou muito os conhecimento e experiência de vcs parabéns !!!

  • Victor Amorim

    Olá Ana e André,
    tenho o prazer em dizer que vocês estão mudando minha vida com seu estilo de vida, sempre sonhei em viver viajando e me descobrindo “pois ainda não me achei mas já consegui me ver e estou perto”. sempre gostei de esportes de resistência tais como: maratona, cicloturismo e até patins percorrendo longas distancias(acima de 20 km), sendo que o cicloturismo é minha paixão e estou só focando nele agora”chegou a hora”, estou criando uma rota de 1600 km, ainda não posso largar tudo preciso voltar mais tenho projetos parecidos como o seu, e acontecendo viajarei bem mais e com mais frequência. você sem dúvidas são uma inspiração não só para mim , mais pra muita gente que pretende ter esse estilo de vida. Com seu blog aprendo muita coisa, tanto que estou alterando meu projeto, pois vocês dão uma aula de sobrevivência(valores básicos que o mundo moderno nos obrigou a mudar) e dessa forma vou conseguir viajar mais e aprender mais. Bem agora com certeza sou mais um fã de vocês. Vocês através de suas publicações vão ter parcela fundamental na minha nova viagem e talvez, mais nova maneira de VIVER!!! Espero um dia encontra-los pelas estradas da vida para trocarmos figurinhas, sei que já tem um álbum completo…kkk.
    Abraços para vocês Ana e André, e NUNCA DEIXEM DE SER ASSIM, POR FAVOR!
    Victor Amorim

    • Uau Victor,
      muito obrigado pela mensagem!!
      Mensagens como a sua nos fazem seguir em frente com o blog e viagens!!! É muito difícil para nós compartilhar tudo que acontece na estrada, mas tentamos!
      Que bom que o pouco que conseguimos de fato expressar por aqui inspiram pessoas como você!!
      Espero que possamos trocar figurinhas qualquer hora sim, vixi, o album da vida nunca fica completo! rs…
      Valeu!!! Abraçoss!! André e Ana

  • dino

    olá ana e André parabéns pela aventura gostei muito de ler o diario e ver as foto tudo de bom Deus abençoe voceis e suas familias

    • Andre Costa

      Olá Dino, obrigado pelo retorno. Abraços!!!

  • Fabiana

    Excelentes dicas, mas onde posso comprar essas viseiras ? Elas são especificamente para ciclismo ou pode ser aquelas usadas na praia?
    Desde ja Agradeço pela atenção.

    • Andre Costa

      Fala Fabiana!!
      Valeu pelo comentário!!!

      No começo utilizamos aquelas de praia por baixo do capacete.
      Depois que um boné de praia desses da Ana se arrebentou, nós removemos a aba dele e prendemos diretamente no capacete dela com o auxílio de abraçadeiras plásticas.

      Depois disso eu fiquei com inveja, e nós fizemos uma aba para o meu capacete utilizando um apara-barro de um caminhão que encontramos na beira da estrada. Recortamos o plástico no formato certo, e prendemos com abraçadeira no capacete, tudo feito em 5min. =)

      Qualquer hora vamos fazer um post sobre isso. Se quiser se inscrever na newsletter você verá as fotos em primeira mão…
      Valeu
      Abraços!!

  • Bianca Elis Elis

    Oiiiii galera!!! Muito boa essa troca de ideias entre os ciclistas!! Gostei das dicas, obrigada!! Vocês conhecem os circuitos da região Sul?

    • Andre Costa

      Olá Bianca!!! Muito obrigado!!

      Conhecemos sim, pedalamos por todo o vale europeu e por parte do costa verde e mar e também acolhida na colônia. Sabemos que existem muitos outros, temos vontade de conhecer. Recomenda algum mais?

      Abraços